COMPANHIA INDUSTRIAL DE CATAGUASES DEMITIU CERCA DE 250 FUNCIONÁRIOS.

EMPRESA DEMITEA crise econômica brasileira, que insiste em manter ociosa grande parte da produção industrial do país, levou a Companhia Industrial Cataguases, uma das mais tradicionais e bem conceituadas do setor têxtil nacional, a demitir nesta terça-feira, 11 de junho, aproximadamente 250 funcionários “de todos os setores e níveis hierárquicos”, informou Emanuella Castro, coordenadora de RH, responsável pela gestão de Recursos Humanos da empresa.

Segundo explicou ao Site do Marcelo Lopes, “todos os gestores da empresa foram convidados a reestruturarem seus setores o que está promovendo uma reestruturação geral da empresa em todas as suas unidades”, contou.

O Diretor Técnico e Industrial da empresa, Marcos Aurélio Rodrigues, que também participou da entrevista, completou revelando que “não é novidade para ninguém a crise que o país está enfrentando e que existia uma expectativa muito grande com a economia por conta da nova política do governo, mas isso não aconteceu a curto prazo, e a empresa vem sentindo”, comentou.

Ele conta que “há mais de três meses nós estamos com a operação muito abaixo do que é o nosso natural. As vendas não reagem desde o ano passado, então chega o limite e a gente tem que ter responsabilidade de tomar as medidas na hora certa”, disse, emendando em seguida: “Estamos fazendo essa reestruturação para que se mantenha o nível de operação da Industrial Cataguases nos próximos seis meses, e, principalmente, nos próximos anos”, completou Marcos Aurélio.

Apesar deste volume de demissões a Companhia Industrial Cataguases permanece com 987 funcionários, informou Marcos Aurélio, acrescentando que em alguns setores, como a Fiação e outros na matriz da empresa, o terceiro turno de trabalho foi extinto.

“Tudo isso que estamos fazendo é para estarmos de acordo com a realidade do mercado hoje de forma que possamos melhorar o nosso resultado financeiro tornando-o saudável, positivo. Este é o nosso principal objetivo no momento”, destacou Emanuella.

Ela aproveitou para reconhecer a dedicação dos colaboradores que estão deixando a empresa. “Nós temos muita consideração e agradecimento a todos que estiveram conosco e contribuíram com o crescimento da Industrial. São profissionais muito competentes”, afirmou.

Marcos Aurélio lembrou que o processo de demissão levou em conta não demitir pessoas da mesma família “visando reduzir o impacto que esta medida provoca”, disse. Ele, que está acompanhando todo o processo demissionário desde o início da manhã com reuniões com o pessoal que está deixando a empresa, relatou o sentimento da maioria das pessoas.

“Muitos deles, apesar de tristes por estarem saindo, nos agradecem pelo tempo em que ficaram conosco. Por trabalharem aqui e virem diariamente a produção reduzida, os altos estoques, máquinas paradas, eles sabem que a situação de mercado não é favorável”, analisa aquele diretor.

Marcos Aurélio finaliza dizendo que “a medida tomada é para que a gente, a curto e médio prazo, possa retomar os níveis de operação da empresa e continuar trabalhando com esses quase mil funcionários”.

Fonte: Marcelo Lopes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *