ZONA DA MATA REGISTRA 3 MORTES POR H1N1.

vacina-1-A região da Zona da Mata registrou a terceira morte por Influenza A em 2019. O caso ocorreu no município de Leopoldina. A informação foi divulgada nesta segunda-feira, 10 de junho, no boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

Segundo o Estado, o caso foi notificado como A/H3 sazonal, evoluindo para óbito. Não foram divulgados dados da vítima, como nome, idade, sexo e o hospital em que estava internada no município no dia da morte.

Ainda conforme o boletim, também foram registrados dois casos de Influenza nas cidades de São João Nepomuceno e Visconde do Rio Branco. As ocorrências, no entanto, não evoluíram a óbito.
No dia 3 de junho, o Site do Marcelo Lopes publicou sobre um caso de Influenza A registrado pela Secretaria de Saúde em Cataguases.

A SES-MG também confirmou no boletim desta segunda-feira o registro no município, que até então não tinha sido notificado.
Casos de Influenza na região
Cidade Casos Óbitos Subtipo
Juiz de Fora 1 1 A (H1N1) pdm09
Andrelândia 1 1 A (H1N1) pdm09
Leopoldina 1 1 Sazonal/H3
Cataguases 1 – A (H1N1) pdm09
Visconde do Rio Branco 1 – A (H1N1) pdm09
São João Nepomuceno 1 – Sem informação segundo informa SES-MG.

Sintomas
Os sintomas da contaminação pelos tipos A e B do Influenza são febre alta e súbita, tosse, dor de garganta, dor no corpo, dor nas articulações e dor de cabeça. No caso do H1N1, subtipo da Influenza A, dois sintomas que chamam a atenção são a falta de ar e o cansaço excessivo.

É importante distinguir a gripe do resfriado comum, que é muito mais leve, com sintomas menos graves, como coriza, mal estar, dor de cabeça e febre baixa.
Prevenção
Os cuidados para evitar o contágio pelo H1N1 seguem as mesmas regras da prevenção de qualquer tipo de gripe, que incluem:
– evitar manter contato muito próximo com uma pessoa que esteja infectada;
– lavar sempre as mãos com água e sabão e evitar levar as mãos ao rosto e, principalmente, à boca;
– sempre que possível, ter um frasco com álcool-gel para garantir que as mãos sempre estejam esterilizadas;
– manter hábitos saudáveis, alimentar-se bem e beber bastante água;
– não compartilhar utensílios de uso pessoal, como toalhas, copos, talheres e travesseiros;
– caso haja indicação, utilizar uma máscara para proteger-se de gotículas infectadas que possam estar no ar;
– evitar frequentar locais fechados ou com muitas pessoas.
Fonte: G1 Zona da Mata e SES-MG- Marcelo Lopes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *