CRIANÇA LEVA VENENO DE FORMIGA PRA ESCOLINHA EM CARANGOLA E DIVIDE COM COLEGUINHAS.

escola“Chamaram os pais na Escola, ligaram para um médico.

Minha sobrinha falou que não comeu. Depois acabou assumindo que “comi só duas mamãe”.

As crianças são de 4 e 5 anos. Fizeram um bolinho de menino na hora do recreio. Uma professora viu aquilo. Chegou perto. Ai ofereceram pra ela chocolate.

Situação parece tranquila.

Só a criança que levou o veneno que foi para o Hospital vomitando. Deve ter comido mais do que as outras. É criada pela avó. As demais os pais foram orientados caso percebesse alguma reação”, relata uma publicação enviada para o Paulo Roberto da Rádio.

Conseguimos falar  com a secretaria de Educação da cidade de Carangola, por volta das 13:53, que nos confirmou o caso e informou que todos os procedimentos necessários para o caso foram adotados pela referida escola e que todas as crianças passam bem.

Ainda a secretaria de Educação ficou de nos enviar uma nota oficial explicando o caso, estando o espaço aqui aberto.

EDITORIAL PAULO ROBERTO DA RÁDIO:

Pais e mães, muito cuidado e atenção com as crianças, pois elas não tem noção dos perigos.

Graças a Deus este caso em Carangola não terminou em tragédia. O veneno de matar formiga poderia ter matado 1 ou mais crianças.

Determinados produtos e até remédios, devem ser guardados fora do alcance das crianças.

Nós ocultamos o bairro que aconteceu o fato, pois uma diretora de uma escola do referido bairro entrou em contato com nossa produção, reclamando que vários pais estavam ligando para a escola dela questionando a respeito do fato, como se a escola tivesse culpa no caso.

A escola onde ocorreu o caso é um pré infantil, com alunos até 6 anos de idade, na qual é de se aplaudir a ação da mesma, que conta com profissionais realmente atentos ao comportamento dos alunos, tendo a professora notado o tal “grupinho” de meninos e abordado as crianças. Se a professora não observa, as crianças poderiam ter ingerido quantidades maiores da inseticida.      big famili 2019central

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *